Notícias

Inovação de biotecnologia para teste de COVID-19 é aprovado pela Anvisa em corrida por maior eficiência nos diagnósticos

O crescimento na curva de novos casos da COVID-19 desde o início de 2022 vem causando uma corrida dos laboratórios e hospitais por métodos de testagem mais eficazes, tanto na sensibilidade dos resultados, quanto na velocidade necessária para processá-los. A variante Ômicron, mais transmissível que a variante Delta, fez com que a demanda por exames aumentasse próxima aos níveis do início da epidemia, causando a escassez de reagentes e lotando os pontos de atendimento à população.

Neste cenário, a QIAGEN, multinacional alemã especialista em tecnologia para testes moleculares e associada à CBDL, conseguiu recentemente a aprovação junto à Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) de um novo reagente para teste Real-Time PCR (qPCR), que permite a obtenção do material genético do vírus por um processo exclusivo, eliminando etapas anteriores de extração, possibilitando que seja realizado direto da amostra.

O artus® SARS-CoV-2 Prep&Amp™ UM Kit, identifica a presença ou ausência de COVID-19 em amostras de swab nasofaríngeo e saliva, por meio da detecção do material genético viral, gerando economia de tempo, materiais e custos. A extração direta em meio líquido é um método exclusivo da QIAGEN e em processo de patente, e a liberação pela ANVISA permitirá que laboratórios com o produto possam processar um maior número de amostras por dia, de uma forma mais eficaz.

“Com o aumento de casos da COVID-19, impulsionado pela Ômicron, de transmissão mais rápida que outras variantes, o uso de soluções como os reagentes de PCR em tempo real ajuda a fechar os diagnósticos com mais agilidade, isolar os pacientes infectados e conter a propagação do vírus. Uma estratégia interessante para hospitais e laboratórios que recebem, diariamente, milhares de testes a serem avaliados e precisam desta eficácia no processamento das amostras”, destaca Paulo Gropp, vice-presidente da QIAGEN na América Latina.

O reagente foi validado para ser utilizado com o selo IVD (in Vitro Diagnostic) nos principais equipamentos de real-time PCR disponíveis no mercado clínico.

Exame diferencia até 22 patógenos

Além da aprovação do reagente junto à Anvisa, outra tecnologia que vem auxiliando a ‘linha de frente’ de hospitais e laboratórios é a testagem sindrômica. Por conta dos sintomas parecidos como dores de cabeça, garganta, tosse, espirros, coriza e febre, muitas doenças respiratórias podem dificultar o diagnóstico e tratamento mais adequado para cada caso em específico.

A tecnologia do painel QIAstat-Dx tem sido capaz de identificar e diferenciar uma série de patógenos simultaneamente, e indicar, inclusive, se o paciente está contaminado por mais de um agente infeccioso ao mesmo tempo, como foi o caso dos recentes quadros de “flurona”, a infecção conjunta de gripe e COVID-19.

“Ao eliminar as incertezas do diagnóstico, essas ferramentas são capazes de fornecer as diretrizes para a conduta médica mais adequada, com o uso dos medicamentos corretos e uma abordagem mais responsável em termos de administração e resistência aos antibióticos. Permitem ainda identificar os pacientes que precisam de isolamento e diminuem a janela de tempo no hospital”, completa Gropp.

Outro benefício do painel QIAstat-Dx é o diagnóstico de algumas infecções que geralmente não são detectadas devido à falta de suspeita clínica ou de testes de rotina disponíveis. A tecnologia consegue auxiliar para ‘desafogar’ o sistema de saúde e já está presente em diversos hospitais de referência e redes de apoio laboratoriais. (Com informações da AtitudeCom – assessoria de imprensa da Qiagen – 07.03.22)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Whitebook of Brazilian laboratory diagnosis

Download here!

Livro Branco

Faça o download abaixo!