Os jalecos utilizados em atividades laboratoriais, assim como as máscaras, luvas, gorros e aventais, necessitam de cuidados especiais, já que podem transmitir germes, bactérias, vírus e fungos.

A Anvisa, por meio da Norma Regulatória 32, estabelece que os profissionais não podem deixar o ambiente de trabalho trajando estas vestimentas de proteção. Muitas cidades do país proíbem o uso de jalecos fora do ambiente profissional por questões de saúde pública.

Em pesquisa realizada pela Escola de Enfermagem da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), os cientistas constataram a existência de bactérias nocivas á saúde. As áreas mais contaminadas do jaleco são o bolso e a região do abdômen. Outra pesquisa da PUC-SP também detectou bactérias em 95,8% dos jalecos, entre elas, a Staphylococcus aureus responsáveis pela infecção hospitalar.

A médica infectologista Dra. Ana Paula Moro confere algumas dicas para a utilização correta dos jalecos, de acordo com as normas de segurança:

– Usar o jaleco somente no ambiente de trabalho;
– Retirar sempre o jaleco para ir ao refeitório, banheiro, áreas administrativas e áreas externas;
– Os jalecos nunca devem ser colocados no armário onde são guardados objetos pessoais;
– Escolher jalecos que sejam do tamanho adequado ao usuário, nem grande, nem pequeno;
– Usar sempre jaleco de manga longa, nunca dobrar as mangas;

– Comprar jalecos com punhos justos com elástico para evitar que a manga entre em contato com contaminantes;
– Além dos jalecos, o uso de máscaras, luvas, gorros, aventais e roupas específicas para o centro cirúrgico deve ser controlado de forma eficaz e segura. (Com informações do Labnetwork – 13.6.19)