O número de empregos formais na área da saúde ultrapassou a marca de 5 milhões, segundo o Relatório de Emprego da Cadeia Produtiva da Saúde, promovido pelo Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (IESS).

De acordo com o documento, a quantidade de postos de trabalho no segmento cresceu 3,4% de agosto para setembro de 2019 e, atualmente, o Brasil conta com 6 milhões de profissionais com carteira assinada no setor privado e cerca de 1,5 milhão na saúde pública, o que soma 5,1 milhões de empregos.

“O setor responde por 9% do Produto Interno Bruto (PIB) e 11,6% da força de trabalho no Brasil. Ou seja, tem uma participação intensa na economia nacional. Tendência que deve se manter nos próximos anos, até mesmo pela demanda crescente que será gerada com o envelhecimento da população”, comentou José Cechin, superintendente executivo do IESS.

Ao observar os dados por região, o relatório aponta que quase a metade dos empregos se concentra no sudeste, o que é equivalente a 46,8% do total no setor.

Já a região nordeste apresenta a vice-liderança no número de vínculos empregatícios com mais de 1 milhão de empregos. O sul aparece na terceira posição, com um pouco mais de 650 mil trabalhadores e 155,2 mil na saúde pública.

Em 12 meses (agosto/18 a agosto/19) o país somou mais de 166,6 mil novos postos de trabalho, 36,3% dos 458,9 mil novos empregos gerados no território nacional.

“Acreditamos que essas novas informações que passamos a divulgar mensalmente, a partir de agora, possam contribuir para as tomadas de decisão do setor, fornecendo mais dados para gestores do setor público e privado assim como para pesquisadores”, finalizou Cechin. (Com informações do Saúde Business – 6.11.19)