Um novo teste para o diagnóstico da esporotricose , doença de pele causada por Sporothrix SP, fungos encontrados no solo, geralmente encontrados em gatos e cães, mas também em seres humanos, acaba de ser desenvolvido pela BiDiagnostics – BioInsumos e Diagnósticos, startup que tem apoio do Programa Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas (PIPE) da Fapesp.

O fungo pode infectar a pele dos felinos por meio de feridas, além de causar lesões graves que podem tomar o corpo todo e afetar os órgãos internos. Se não for tratado, pode ser fatal.

Já nos humanos, contaminados por arranhadura ou mordeduras de animais contaminados, pode provocar lesões nos braços e na face.

“Nos últimos cinco anos, foram registrados casos da doença tanto em animais como em humanos em todas as regiões do país, com um aumento de até 600% no número de pacientes notificados”, alertou a microbiologista, Leila Maria Lopes Bezerra.

Leila, que é fundadora da BiDiagnostics, também comentou sobre a rapidez do exame e da diminuição dos custos, “o teste permite agilizar o diagnóstico e fazer o acompanhamento do tratamento dos pacientes infectados, que leva no mínimo três meses. Além disso, permite diminuir os custos com internação pela demora ou diagnósticos errôneos”. (Com informações do Labnetwork – 24.10.19)