Notícias

Era da Troponina e novas tecnologias de diagnóstico foram os principais temas da Conexão CBDL para as doenças cardíacas

A apresentação do Dr. Attílio Galhardo, cofundador da Medical Advisor na Cor.Sync, na série Conexão CBDL, realizada no dia 29 de setembro, no webinar “Marcadores Cardíacos – Inovações no diagnóstico. Novas tecnologias contribuem para o tratamento e monitoramento de doenças do coração”, mostrou dados da Organização Pan-americana de Saúde (OPAS) relativos às doenças cardiovasculares.

De acordo com os índices apresentados, estas doenças se configuram na principal causa de morte no mundo. Para se ter uma ideia, em 2016, os números globais apontam 17,9 milhões de óbitos por doenças do coração, 31% de todas as mortes no planeta.

Segundo o médico, só a doença arterial coronariana (DAC) representou, na última década, 13% dos óbitos no mundo todo. Ainda conforme pesquisa do DataSUS, de 2018, mais de 140 mil pessoas foram internadas no Brasil com infarto do miocárdio, com mortalidade de 11%.

“A cada minuto, uma pessoa morre do coração. 80% destas mortes poderiam ser evitadas se houvesse uma prevenção com dietas saudáveis e prática de exercícios físicos”, advertiu Galhardo.

O marcador ideal para o diagnóstico de doenças cardiovasculares foi abordado pelo médico que defendeu pontos importantes como: grande sensibilidade e especificidade, além de liberação rápida, com resultados céleres, precisos e de custos efetivos. Além disso, Dr. Galhardo desenhou a linha do tempo dos marcadores, com franco destaque para a atual era da troponina.

“O objetivo atualmente é tornar o Point of Care Testing (POCT) da troponina mais rápido e acurado, com menor margem de erro para finalidade diagnóstica”, concluiu Galhardo.

Já o Dr. Carlos Eduardo dos Santos Ferreira, médico patologista e presidente da Sociedade Brasileira de Patologia Clínica e Medicina Laboratorial (SBPC/ML), além de gerente médico do Laboratório Clínico do Departamento de Medicina Laboratorial do HIAE, e coordenador médico do Laboratório Central do Hospital São Paulo – EPM/Unifesp, falou sobre as novas tecnologias que contribuem para o tratamento e o monitoramento das doenças do coração, mais especificamente a respeito da busca pelos novos biomarcadores cardiovasculares de seleção, diagnóstico e prognóstico.

O presidente da SBPC/Ml defendeu a troponina de alta sensibilidade como a melhor alternativa, capaz de dispensar todos os biomarcadores anteriores.

O médico listou uma série de patologias que podem, direta ou indiretamente, alterar a troponina, entre eles, traumas, insuficiência cardíaca, hipertensão, hipotensão com arritmia, doenças renais, asma severa, toxidade por drogas, hipotireoidismo, vaso espasmos coronarianos, miocardite, cateterismo, embolia pulmonar, sepse, e até queimaduras e atividades físicas extensas.

A definição de Protocolo de Dor Torácica, que vai do laboratório ao corpo clínico para garantir a segurança do paciente também foi abordado por Santos Ferreira.

“Para onde vamos? Ensaios sensíveis com valores de referência para a população normal, estratificados por idade e sexo, além de Inteligência Artificial na interpretação de resultados e a implantação de chips subcutâneos que indiquem em tempo real alguma anomalia e emitam um alerta, caso haja algum episódio preocupante cardiovascular”, finalizou ele.

A mediação do evento foi feita pela farmacêutica Josely Chiarella, assessora técnica da CBDL. (Com informações da Oficina de Mídia – assessoria de imprensa da CBDL – 06.10.21)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Whitebook of Brazilian laboratory diagnosis

Download here!

Livro Branco

Faça o download abaixo!