A epidemia de coronavírus já está sendo encarada pela OMS como uma pandemia. Por esta razão, vários países já estão se organizando para combater com eficácia o alastramento da doença.

O Centro Africano de Prevenção e Controle de Doenças (CDC), agência especializada da União Africana, acabou de organizar um treinamento de capacitação de profissionais no Senegal, com a presença de 12 países, utilizando os testes encaminhados pela OMS.

Nos Estados Unidos, a distribuição de kits para os laboratórios já começou. Segundo os Centros para Controle e Prevenção de Doenças (CDC) do país, estes locais já estão diagnosticando de 700 a 800 amostras de pacientes. Além do controle interno, os Estados Unidos já disponibilizaram kits de testes para 191 laboratórios qualificados em todo mundo, além de treinamento de profissionais de saúde no Vietnã.

Teste de Anticorpos

Para ajudar na detecção da doença ocasionada pelo coronavírus há um outro teste de anticorpos que permite avaliar pessoas assintomáticas ou com sintomas leves.

Para alguns especialistas, este tipo de teste não foi aprovado internacionalmente. Para outros, podem cooperar para o entendimento da enfermidade.

“Poderiam ajudar a melhorar nossa compreensão da doença detectando exposições passadas ao vírus”, comentou Martin Hibberd, professor de doenças infecciosas emergentes, da London School of Hygiene & Tropical Medicine (LSHTM).

Cerca de 82% dos casos registrados da doença são considerados leves, 15%, graves, e 3%, “críticos”.

A grande preocupação da OMS é que a epidemia se espalhe para países emergentes e com sistemas frágeis de saúde. (Com informações do Estado de Minas – 12.02.20)