O Brasil é um dos primeiros países do mundo a receber o novo teste PCR de detecção da COVID-19 da Seegene. O exame elimina a etapa de extração e garante o resultado em poucas horas e não em até 48 horas, como os testes da geração anterior.

                O teste molecular PCR, atualmente em uso, analisa o swab do nariz e garganta e o resultado tem 100% de precisão, explica o CEO da Seegene Brasil, Guilherme Ambar. De acordo com ele, como o material coletado incluiu bactérias, células do organismo, químicos do meio de transporte e mesmo outros vírus, é preciso fazer um procedimento demorado para purificar a amostra, a ‘extração’. Só depois a amostra é testada para identificar a presença do próprio vírus, e não dos anticorpos, como os testes rápidos. Essa ‘extração’ só pode ser feita em laboratórios devidamente equipados, que no Brasil são poucos e com capacidade limitada.

                Para Guilherme Ambar, “o gargalo da carência de laboratórios, hoje concentrados em poucos estados, é que está dificultando a testagem em massa recomendada pela OMS”.

                Com o teste de nova geração, Allplex SARS-CoV-2 Assay, é feita uma única reação para se obter o resultado. Ele identifica quatro genes-alvos sem necessidade da etapa de extração.

Outras vantagens do novo teste são a capacidade de detectar o vírus mesmo em amostras com baixa carga viral, isto é, em pacientes com poucos vírus.

Dada à urgência da testagem em massa, agora que há risco efetivo de novas ‘ondas’ de contaminação em vários estados, as equipes dos laboratórios são treinadas e capacitadas in loco para processar os novos testes. (Com informações da DOC Press – Assessoria da Seegene Brasil – 06.07.20)