A Beckman Coulter, empresa associada à CBDL, lançou recentemente no Brasil, o Access SARS-CoV-2 IgG, exame sorológico que indica se houve resposta imunológica contra a Covid-19. O teste processa apenas a imunoglobulina G (IgG), anticorpo que demora mais a aparecer, mas também permanece por mais tempo no organismo.

O ensaio da Beckman Coulter detecta anticorpos contra a proteína Spike, que são capazes de neutralizar o vírus, ou seja, impedir a reentrada dele. “A proteína S é responsável pela entrada do vírus na célula, é a que se acopla ao nosso receptor. Teoricamente, se tenho um anticorpo contra a proteína que se liga ao receptor, esse anticorpo vai ser o ideal para a minha proteção”, explica a infectologista Nancy Bellei, mestre e doutora em Doenças Infecciosas e Parasitárias pela Unifesp.

O Access SARS-CoV-2 IgG foi testado em 1400 amostras na França e nos Estados Unidos, com 100% de especificidade clínica comprovada após o 18º dia do início dos sintomas. Quando se pensa em um intervalo de tempo anterior, de zero a seis dias do início dos sintomas, o exame da Beckman Coulter aparece com uma das melhores sensibilidades do mercado: 70,2%. 

É contra essa proteína, inclusive, que, futuramente, deverá ser feita a vacina contra Covid-19. “Como é provável que todos tenham que fazer o teste em algum momento para checar se já estão imunes à doença, preferimos fornecê-lo dessa forma, assim, é um ganho de tempo e economia para os clientes”, revela Daniela Putti, head de Marketing da Beckman Coulter na América Latina. (Com informações da Agência Casa 9 – assessoria de imprensa da Beckman Coulter – 25.08.20)