A University of Alberta, do Canadá, por meio de pesquisa, usou a análise metabólica do soro para encontrar um único padrão de 12 metabólitos exclusivos em pessoas com miastenia gravis (MA). O artigo Beyond the autobodies: serum metabolomic profiling os myasthenia gravis foi publicado no periódico Metabolomics.

A doença, autoimune ou congênita, envolve uma série de sintomas como fraqueza muscular e fadiga rápida quando o músculo é exigido.

A pesquisa comparou o soro de 46 voluntários com diagnóstico de miastenia gravis com o de 49 indivíduos do grupo controle sem a doença. Logo após, os cientistas promoveram uma nova comparação com um grupo de 23 pacientes com artrite reumatoide. Assim, encontrou um padrão único de 12 metabólitos.

“Isso é realmente importante porque agora temos uma maneira de diferenciar facilmente um paciente com miastenia gravis de alguém com artrite reumatoide ou outra doença autoimune”, comentou o neurologista Zaeem Siddiqi, coordenador do estudo. (Com informações do Labnetwork – 7.11.19)