Dia 13 de setembro marcou o Dia Mundial da Sepse. De acordo com números do Instituto Latino Americano de Sepse (ILAS), de 15 a 17 milhões de pacientes sofrem do problema anualmente.

Nesta data foram realizadas algumas ações em vários países, com o objetivo de conscientizar a população e os profissionais de saúde.

A sepse é, muitas vezes, confundida com infecção generalizada. No  caso da sepse, a doença é uma resposta inflamatória à uma infecção. Isso não significa que a infecção está em diversos órgãos e sim, que o organismo causa inflamações para combater os agentes da infecção.

Entre os sintomas  da sepse estão febre ou temperatura baixa, aceleração do coração (taquicardia), respiração rápida (taquipneia), fraqueza, tonturas, pressão baixa, diminuição do volume de urina, falta de ar, sonolência excessiva ou confusão mental, principalmente em idosos.

No campo da sepse, o Sabará Hospital Infantil desenvolveu um Protocolo Institucional segundo as recomendações do ILAS. Entre as medidas está a solicitação de exames laboratoriais para identificar o mal e combatê-lo com antibióticos rapidamente.

“Sempre que um paciente apresentar quadro de dor, febre, sintomas cardíacos e respiratórios, o recomendado é que ele vá até um pronto-socorro e relate todos os sintomas ao médico. Com base nessas evidências, o médico pode pedir exames laboratoriais para a identificação da sepse e introduzir antibióticos ainda nas primeiras horas”, comentou a diretora clínica do Sabará Hospital Infantil, Regina Grigolli Cesar.

Ainda de acordo com a diretora clínica, “precisamos orientar também os profissionais da saúde durante uma avaliação médica a identificar a sepse de forma precoce em casos de queixas de febre e infecções”. Os exames laboratoriais serão protagonista para este diagnóstico rápido. (Com informações da Medicina S/A – 15.09.20)