O evento comemorativo dos 20 anos da Anvisa, que ocorreu na última terça-feira, 29 de janeiro, em Brasília, culminou na entrega do 1º Prêmio Anvisa concedido aos profissionais técnicos envolvidos em regulação. Foram 72 trabalhos indicados em cinco categorias.

Os trabalhos vencedores foram: Segurança Sanitária: Metodologia de Avaliação de Risco Potencial em Serviços de Hemorrede; Regulação: Rotulagem de Alimentos Alergênicos; Inovação: Adoção de Sistemas Genéricos de Classificação de Drogas; Gestão: EcoWC (projeto de banheiro sustentável instalado na sede da Anvisa) e Desenvolvimento de Equipe: Anuência de Processos de Importação de Forma Remota.

A Agência também entregou um prêmio especial para o melhor desempenho para a equipe da Gerência Geral de Tecnologia de Produtos para Saúde (GGTPS).

Carlos Eduardo Gouvêa, presidente executivo da Câmara Brasileira de Diagnóstico Laboratorial (CBDL) e diretor-executivo do Instituto Ética Saúde elogiou a premiação.

Já Renato Porto, diretor da Anvisa, também comemorou a iniciativa. “Esse prêmio, de fato, tem que ser comemorado por todos os técnicos e servidores da Agência, para que todos os anos muitos projetos apareçam”, comentou.

A cerimônia de comemoração dos 20 anos da Anvisa contou com personalidades importantes do setor como o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, e do secretário especial de Desburocratização, Gestão e Governo Digital do Ministério da Economia, Paulo Uebel, além do  diretor-presidente da Agência, William Dib e dos ex-diretores Gonzalo Vecina, Cláudio Maierovitch e Dirceu Raposo.

“Queremos tornar a Anvisa cada vez mais sólida, para que continue se impondo como uma das melhores agências graduadas. Atualmente, muitas técnicas da Anvisa são usadas como referência mundial. Mas é possível avançarmos ainda mais e atendermos cada vez melhor toda a população brasileira, colocando-a como primeira beneficiada”, declarou o ministro da Saúde.

Outra novidade do encontro foi o lançamento oficial da emissão digital do Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia (CIVP) contra a febre amarela. (Com informações da Ascom/Anvisa – 31.1.19)